RESENHA: Cidade dos Ossos - Cassandra Clare | Clube do Livro

Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria.
Essa resenha faz parte do Clube do Livro e o tema de junho era "Um livro que está abandonado na estante". O meu escolhido foi o primeiro volume da série "Os Instrumentos Mortais", "Cidade dos Ossos", que ficou anos parado na minha estante e hoje é uma das minhas séries favoritas.
O mundo está igual, você é que está diferente.
Em "Cidade dos Ossos", Clarissa Fray, ou apenas Clary, é uma adolescente de 15 anos que tem uma vida normal. Tudo começa a mudar depois que ela presencia um assassinato, um tanto quanto incomum, quando ela e seu melhor amigo Simon estavam na boate Pandemonium. Os assassinos eram três adolescentes com tatuagens e armas estranhas. Ainda mais estranho é o fato de que o corpo do garoto assassinado desapareceu, sem deixar nenhum vestígio. E é a partir dessa noite que a vida de Clary muda completamente. Para piorar tudo, sua mãe sumiu, Clary é atacada por um demônio e acaba sendo salva por um dos adolescentes que ela viu na boate.

Dessa forma, ela percebe que tudo que pensava ser verdade, não passava de uma mentira. Ela descobre que sua mãe ainda está viva em algum lugar e que ela precisa encontrá-la. E enquanto procura, ela aprende mais sobre os Caçadores de Sombras e sua possível origem.
As histórias que te contaram quando era pequena sobre monstros, pesadelos, lendas sussurradas em volta de fogueiras, são todas verdadeiras.
Os Caçadores de Sombras, são uma espécie que envolve o mito dos Nephilim, homens e mulheres que trazem em suas veias o sangue dos anjos e são os responsáveis por manter a ordem entre o mundo mágico e o mundo dos mundanos, como são chamados os humanos.

No começo, o livro pode parecer meio devagar, mas isso acontece porque a autora se dedica a explicar a história de cada personagem e de tudo o que será desenvolvido ao longo do enredo. Mas depois de alguns capítulos de introdução, ele possui um ritmo "non-stop" e é praticamente impossível abandonar a obra até a última página.

Os personagens, são bem trabalhados e aproveitados por toda a série, não apenas nesse primeiro livro. E, é claro, criamos certa empatia por alguns e uma raiva absurda por outros, e isso é o resultado do trabalho incrível que Cassandra Clare teve ao criar cada um deles. Ela nos apresenta um pouco da personalidade de cada um, tornando fácil acompanhar a história sem se perder e ter que voltar até certo ponto do livro para relembrar quem é quem; são esses personagens que fazem o livro ser extremamente viciante. Spoiler alert: Jace é a melhor pessoa nesse e em todos os livros!
— Aquelas garotas do outro lado estão olhando para você.
Jace assumiu um ar jovial de gratificação.
— É claro que estão — ele disse. — Eu sou terrivelmente atraente.
— Alguma vez você já ouviu que modéstia é uma característica atraente?
— Apenas vindo das pessoas feias — Jace confidenciou. — Os mansos herdarão a terra, mas no momento ela pertence aos vaidosos. Como eu.
Em 2013, o livro ganhou sua adaptação para o cinema, mas não foi bem sucedido e uma continuação nunca chegou. O longa era estrelado por Jamie Campbell Bower (um Jace muito melhor que Dom Sherwood!) e Lily Collins, como Jace e Clary. Eu falo um pouco sobre os problemas do filme no nosso post sobre as piores adaptações literárias para o cinema, então não vou entrar em detalhes por aqui. Digamos apenas que o maior problema foi o roteiro. 
Dorothea: Por acaso você já se apaixonou pela pessoa errada?
Jace: Infelizmente, Dama dos Refugiados, meu único verdadeiro amor permanece sendo eu mesmo.
Dorothea: Pelo menos, você não precisa se preocupar com rejeição Jace Wayland.
Jace: Não necessariamente. Eu mesmo às vezes me dispenso, só para manter as coisas interessantes.
Confesso que a decepção com o filme me fez não ter interesse em assistir a série, que é uma parceria entre a Netflix e o canal americano Freeform (antiga ABC Family). Por isso não posso opinar muito sobre ela. Só posso dizer que o elenco não me agradou muito.

Enfim, adaptações a parte, "Cidade dos Ossos" é um livro incrível e muito viciante. E se você é fã desse tipo de livros ou se está começando a se aventurar nesse mundo, vale muito a pena ler, não apenas o primeiro livro, mas toda a série.

Deixem nos comentários se já leram algum livro da série ou se já viram alguma das adaptações. 
O menino nunca chorou novamente, e nunca esqueceu do que aprendeu: amar é destruir, e ser amado é ser destruído.
Logo a baixo, tem uma lista com todos os blogs que fazem parte do Clube do Livro, são blogs ótimos e de nichos diferentes, inclusive, tem dois canais de booktubers também. Então corre conferir o livro que eles escolheram para esse mês!






Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.