RESENHA: A biblioteca mágica de Bibbi Bokken - Jostein Gaarden e Klaus Hagerup



"Nils tem doze anos e acaba de voltar das férias escolares de verão, passadas em companhia de sua prima Berit, na cidade de Fjærland, interior da Noruega. Para não deixar de se falar, os dois decidem escrever um diário e remetê-lo de uma cidade a outra pelo correio.Já de início, porém, parece haver algo de misterioso no diário de Nils e Berit. Ao comprá-lo numa livraria, Nils conhece uma mulher estranha, alguém que ele e Berit haviam visto de passagem durante as férias. A mulher faz questão de ajudar Nils a comprar o diário - uma esquisitice que ele não deixa de contar à prima já em sua primeira "carta".
Em Fjærland, Berit se põe a segui-la. Diante da casa da mulher, Berit "furta" um pequeno envelope da caixa de correio. Dentro, encontra uma carta vinda da Itália, endereçada a uma certa Bibbi, que menciona um sebo em Roma. O estabelecimento guardaria não apenas livros raros, mas também livros ainda não escritos. E um desses livros se refere a uma certa "biblioteca mágica".
Toda essa história Berit conta a Nils em sua primeira carta. A aventura mal começou, mas o leitor já se vê mergulhado num grande mistério. Quem é Bibbi e que biblioteca mágica é essa? É um caso para os pequenos detetives Nils e Berit investigarem a fundo - e tudo aquilo de que o leitor precisa para se divertir pelas páginas restantes. Em A biblioteca mágica de Bibbi Bokken, o grande herói é o livro e sua história, numa trama cheia de suspense e aventura."


Ontem, foi comemorado o Dia Mundial do Livro, e nós aqui do Quarto decidimos trazer a resenha de um livro que, ao nosso ver, faz jus a essa data, e foi, afinal, criado para tal. Estamos falando do “A biblioteca mágica de Bibbi Bokken”, do Jostein Gaarder (Mundo de Sofia <3) e do Klaus Hagerup.

O romance é epistolar (escrito em formato de correspondência, sabe), e conta a história dos primos Nils e Berit, que moram em cidades diferentes da Noruega. Nils está passando as férias na casa de Berit, mas precisa voltar a Oslo para o reinicio das aulas. No caminho, ele decide comprar um caderno, para que os dois pudessem escrever cartas nele, dando origem ao volume que temos em mãos.
(...) E imagine que Bibbi Boken construiu uma biblioteca mágica sob o gelo! Uma biblioteca que ela preenche com os nossos pensamentos! Isso explica por que é uma biblioteca mágica. Estou cada vez mais convencido de que estamos realmente lidando com magia.
É justamente aí que começa a história. Quando compra o caderno, Nils dá de cara com uma mulher que se oferece para pagar o caderno. Como a mulher mora na mesma cidade de Berit, e como ficou sabendo da informação quando leu no caderno a carta de Nils, ela decidiu investigar mais sobre a mulher. Ao investigar, os dois descobrem uma série de tramas e coisas sobre o mundo dos livros enquanto objeto: o sistema Dewey, Incunábulos e outras tantas.

A história é fascinante pois nos mostra o fascínio que as crianças podem ter nos livros e, com as situações criadas, percebemos como o livro pode ser um amigo para diversas horas, não apenas estudos. Um livro é como uma alma amiga, que recebemos em papel e vamos desvendamos os caminhos ora escuros ora alegres de cada um.

Em “A biblioteca mágica de Bibbi Boken”, Jostein e Klaus criam um universo mágico e delicioso, onde crianças e adultos se unem pelo amor a mesma coisa: o livro: a literatura. 



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.