RESENHA: A Coroa (A Seleção #5) - Kiera Cass - Quarto dos Livros

RESENHA: A Coroa (A Seleção #5) - Kiera Cass


   “Em A Herdeira, o universo de a Seleção entrou numa nova era. Vinte anos se passaram desde que America Singer e o príncipe Maxon se apaixonaram, e a filha do casal é a primeira princesa a passar por sua própria seleção.Eadlyn não acreditava que encontraria um companheiro entre os trinta e cinco pretendentes do concurso, muito menos o amor verdadeiro. Mas às vezes o coração prega peças… e agora Eadlyn precisa fazer uma escolha muito mais difícil – e importante – do que esperava."

SPOILER ALERT! Se você ainda não leu os quatro livros anteriores e não gosta de spoilers, recomendamos que pare sua leitura por aqui e aguarde as próximas resenhas dessa série.


“A Coroa” é o tão aguardado desfecho da série "A Seleção", da autora norte-americana Kiera Cass, publicado no Brasil pela Editora Seguinte.

No volume anterior, “A Herdeira”, Kiera nos leva de volta à Illea 20 anos após a seleção de Maxon e America e somos apresentados à filha mais velha do casal e futura rainha, a princesa Eadlyn: mimada, egoísta, irritante, extremamente confiante e que foi jogada em uma seleção da qual nunca quis participar.

“A Coroa” continua exatamente onde “A Herdeira” parou: seu irmão gêmeo Ahren fugiu para a França, sua mãe está em coma após sofrer um ataque cardíaco e o pai afastado do trono. Com todos esses acontecimentos, temos uma Eadlyn completamente diferente. Ela finalmente se permite sentir, ser carinhosa, se divertir e, ao mesmo tempo, teve que amadurecer para assumir o reinado de Illea na ausência do pai e continuar com sua seleção, que foi reduzida à Elite.

As mudanças da personagem não foram forçadas, não é como se ela tivesse mudado do dia para noite. Ela recebe vários choques de realidade e se vê obrigada a mudar sua forma de lidar com as coisas.

Ao longo do livro nós podemos conhecer um pouco mais de algum dos selecionados e com isso temos algumas surpresas bem legais (prefiro manter esse momento sem spoiler para que você possa ter aquele choque quando descobrir). E no final, Henri acaba sendo a melhor pessoa.

Kiera Cass sabe trazer personagens queridos pelo público de volta de um jeito especial. Nós vemos um pouco mais do Aspen, que todos amamos desde A Seleção, e de seu casamento com Lucy e das dificuldades do casal em ter filhos. A forma com a qual cuida e protege Eadlyn nos faz lembrar de como ele fazia o mesmo com America.

Por mais que eu tenha amado o livro e, confesso, chorei (haters dirão que eu sempre choro com livros e filmes), tive a sensação de que tudo aconteceu rápido demais, que tudo foi muito corrido e apressado. Muitas informações foram jogadas na nossa cara de uma vez e a forma com que a Eady se apaixona não convence muito. Verdade seja dita: Maxon e America tiveram três livros para que sua história de amor fosse desenvolvida, Eadlyn e Eikko/Erik tiveram algumas páginas de um amor impossível. Ele não era um os selecionados, era apenas o tradutor de um deles.

O destaque e uma das cenas mais bonitas do livro foi a conversa entre Eadlyn e o pai. Maxon conta algumas coisas sobre o passado que eram, até então, desconhecidas pelos leitores, como o fato de que o falecido rei Clarkson teve uma filha fora do casamento.

Esse livro me deixou apreensiva em vários momentos, desde America em coma ao desfecho da seleção da Eady. "A Coroa" termina a série de uma forma linda e com um final digno de conto de fadas.





2 comentários:

  1. Jubaaaaaa *-*
    Coisa linda primeira resenha do blog! Desejo muito sucesso pra vocês♥
    Eu adorei a resenha mas vou confessar que nem ganhando dinheiros tenho vontade de ler essa "saga" (mentira leria se me dessem 50 mil golpinhos haha). Não me interessei pela premissa, mas não parece uma saga tãããão ruim assim hahaha

    Um beijo,
    Paloma
    surewehaveablog.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Paloma! De verdade! <3
      Entãaaao... confesso que gosto mais da trilogia da America do que os dois da Eadlyn e acho que você ia gostar mais da trilogia também. Não é mesmo uma saga ruim. Dê uma chance pra ela algum dia.

      Beijos

      Excluir

Tecnologia do Blogger.